TTF Brasil - Notícias

Notícias de parceiros

  • Instituto Justiça Fiscal

    A Injustiça Fiscal da Política de Austeridade

    Austeridade é política de corte para satisfazer o mercado financeiro. Entrevista com economista Marcelo Milan. [Leia Mais]

  • Outras Palavras

    Dowbor: como as corporações cercam a democracia

    Como os chacais desafiam o funcionamento das instituições políticas e jurídica em busca de ganhos fartos. [Leia Mais]

  • Instituto Justiça Fiscal

    Despesas da Copa do Mundo

    Ministério Público do Rio Grande do Sul requer que Fifa e Internacional devolvam dinheiro gasto com estruturas temporárias da Cop [Leia Mais]

  • Outras Palavras

    Democracia e Capitalismo, divórcio definitivo

    Num livro que diz muito ao Brasil, Wolfgang Streeck expõe mecanismos que permitiram à aristocracia financeira controlar Estado e m&iacut [Leia Mais]

Arquivos de Notícia

Últimas notícias

  • 19.08.2016 - Gestos promove tuitaço por democracia econômica e em defesa do SUS [Leia Mais]

  • 04.08.2016 - Devo não nego, pago quando puder [Leia Mais]

  • 15.07.2016 - Gestos encaminha pedido de audiência pública para debater TTF no Congresso Nacional [Leia Mais]

  • 05.07.2016 - Projeto Robin Hood quer reduzir desigualdades [Leia Mais]

  • 04.07.2016 - A crise do capitalismo financeiro vai ao cinema [Leia Mais]

  • 22.06.2016 - Mastigando o Economês: Meta Fiscal e Dívida Pública [Leia Mais]

  • 06.06.2016 - Educação Política e Econômica, eis a nossa proposta! [Leia Mais]

  • 16.05.2016 - A Consistência dos Inconsistentes [Leia Mais]

  • 13.05.2016 - Os Panama Papers e a necessidade de monitorar o fluxo de capitais [Leia Mais]

  • 11.05.2016 - Os efeitos positivos dos tributos sobre transações financeiras (TTF) no Brasil [Leia Mais]

  • 03.05.2016 - IOF para compra de moeda estrangeira sobe de 0,38% para 1,10% [Leia Mais]

  • 02.05.2016 - Novo Marco Regulatório das ONGs assinado pela Presidenta Dilma é debatido no Recife [Leia Mais]

  • 20.04.2016 - TIRADENTES, PIONEIRO NA LUTA CONTRA OS IMPOSTOS [Leia Mais]

  • 14.04.2016 - Artigo - IOF: o que é e o que pode ser? [Leia Mais]

  • 29.03.2016 - Combater a sonegação também é fazer justiça fiscal [Leia Mais]

  • 28.03.2016 - Democracia e Direitos para uma Política Madura [Leia Mais]

  • 11.03.2016 - JUSTIÇA FISCAL E O LUCRO DOS BANCOS [Leia Mais]

  • 01.03.2016 - Com animação fica mais fácil de entender [Leia Mais]

  • 24.07.2015 - Terceira Conferência do Financiamento para o Desenvolvimento Desaponta e perde Ambição [Leia Mais]

Mulheres europeias contra a dívida e a « austeridade »

Em luta contra cortes de direitos, feministas fazem debatem com grupos de várias cidades e lembram: mulheres, maioria entre os pobres, são as mais atingidas pelas política europeias

Uma turnê de cinco feministas europeias, vindas da Grécia, Inglatera, Hungria, França e Bélgica, partiram de Paris para encontrar-se, em várias cidades francesas, com as associações feministas locais e realizar debates públicos sobre « Dívida pública, austeridade, crise social e Ferminismo». Seu objetivo é reforçar os laços entre as redes feministas, participando na construção de um movimento feminista popular, auto-organizado, capaz de mobilizar as mulheres pela primazia absoluta dos direitos das populações sobre os dos bancos. Ao criar a conexão entre as lutas dos movimentos sociais, organizações sindicais e grupos feministas, essa iniciativa contribui para reforçar o movimento de resistência à dívida, à austeridade e à implementação do Pacto orçamentário na Europa.

Christiane Marty, do ATTAC França, lembra em suas intervenções que o discurso oficial culpabiliza a população, e que as mulheres são ainda a maioria entre os pobres. Christine Vanden Daelen, do Comitê pela anulação da dívida do Terceiro Mundo (CADTM) da Bélgica, reforçou o argumento dizendo que não haverá mobilizações fortes sem a presença das mulheres, sempre apaixonadas, e as mais afetadas pelas medidas de austeridade. Sonia Mitralia, do CADTM da Grécia, falou sobre a falência do estado de bem-estar social e da emergência de uma crise sanitária em seu país. Já Judith Morva, do ATTAC Hungria, relatou as mudanças do seu país ao aderir ao capitalismo, quando tudo foi privatizado, a dívida explodiu e o desemprego atingiu um milhão e meio de pessoas, em uma população de 10 milhões, nos anos 90.

Felicity Dowling, do Mulheres contra os Cortes, da Inglaterra, lembrou que, embora seu país seja um dos mais ricos do mundo, as desigualdades são tão grandes quanto as do tempo de Charles Dickens (1812-1870). Para ilustrar a precariedade estrutural das mulheres, Felicity apresentou algumas cifras: 8 das 10 ocupações com remuneração mais baixa, na Inglaterra, são quase exclusivamente exercidas por mulheres; mulheres ganham 17% menos que homens, em média, sendo que esse percentual sobe para 36% para mulheres que trabalham meio período. «Na Grã-Bretanha, ter filhos é um fator de desigualdade salarial; a diferença entre uma mulher sem filhos e uma com um filho é de 8% ; com dois filhos chega a 24% ; e com três, a 31% !», relatou.



Comentar notícia Populações  Minorias  Indignadas  Economia  Crise  Criatividade  Ocupação  Occupy  

Notícias Relacionadas

A campanha pelas TTF demanda uma taxa sobre as transações financeiras internacionais – mercados de câmbio, ações e derivativos. Com alíquotas menores que 1%, elas incidirão sobre um volume astronômico de recursos pois esses mercados giram trilhões de dólares por dia.

http://www.outraspalavras.net